PRAZER E SOFRIMENTO DE JOVENS TRABALHADORES E ORIENTADORES

Autores

Resumo

Frente às mudanças no mundo laboral, bem como às exigências e implicações decorrentes, este estudo tem como objetivo analisar as vivências de prazer e sofrimento no trabalho de jovens aprendizes e de seus orientadores, em uma organização pública de âmbito nacional. Foi realizada uma pesquisa quantitativa, descritiva, na qual os dados foram coletados através de questionários baseados no Inventário de Trabalho e Riscos de Adoecimento (ITRA), de Mendes e Ferreira (2007). Para tratamento dos dados foi utilizada estatística descritiva univariada e estatística bivariada, com a aplicação de testes de comparação (Mann Whitney) considerando os dados dos aprendizes e dos orientadores. Os resultados indicam: 1) maior “exigência” dos orientadores em relação aos aspectos avaliados; 2) os jovens encontram-se mais satisfeitos com a organização do que os orientadores e, 3) apesar da atuação de ambos se desenvolver em um contexto de trabalho que guarda diversas semelhanças, diferenças estatisticamente significativas foram encontradas.

Biografia do Autor

Profª. Dra. Kely César Martins Paiva, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora, Mestre e Bacharel em Administração

Professora Associada (CEPEAD/CAD/FACE/UFMG)

Profa. Jane Kelly Dantas Barbosa, CEPEAD-FACE-UFMG

Doutoranda em Administração (CEPEAD-FACE-UFMG)

Prof. Ricardo Ken Fujihara, UNB

Doutor em Administração

Downloads

Publicado

24/02/21

Edição

Seção

Artigos