NO LAR, A “PANDEMIA DAS SOMBRAS”

REFLEXÕES BIOPOLÍTICAS SOBRE A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES EM TEMPOS DE PANDEMIA NO BRASIL

Autores

Resumo

O presente artigo desenvolve uma reflexão acerca do tema da violência contra as mulheres no Brasil, a partir de uma perspectiva crítica que entrelace estudos de gênero, biopolítica e a realidade prática das redes de atendimento a mulheres e suas lacunas. Questiona-se: a partir da análise dos altos índices de violência contra as mulheres no Brasil – que têm aumentado ainda mais no período em que o país enfrenta uma grave crise de saúde em razão da pandemia da Covid-19 – a atenção dada à temática perpassa pela esfera pública, abordando-a como uma questão de saúde pública, ou segue sendo discutida enquanto questão afeta ao âmbito privado? O que se registra é que, embora haja previsões para a realização de um efetivo combate ao problema, em muitos sentidos elas permanecem apenas como medidas formais. A realidade das relações sociais, por outro lado, demonstra a permanência de profundas desigualdades de gênero, que, aliadas a outras assimetrias, contribuem para uma distribuição desigual do direito à vida em relação às mulheres, já que muitas convivem com opressões que produzem suas vidas como vidas nuas ou meras vidas. O método de abordagem é o hipotético-dedutivo, em uma pesquisa do tipo exploratória, com a adoção de procedimentos tais como seleção da bibliografia que forma a base teórica e análise de pesquisas que tratam sobre a realidade prática da violência contra a mulher no Brasil.

Biografia do Autor

Maiquel Ângelo Dezordi Wermuth, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ)

Doutor em Direito Público (UNISINOS)
Professor do Curso de Direito da UNIJUÍ
Coordenador do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado e Doutorado em Direitos Humanos - da UNIJUÍ
Líder do Grupo de Pesquisa Biopolítica & Direitos Humanos (CNPq)
Pesquisador Gaúcho – Edital FAPERGS nº 05/2019

Emanuele Dallabrida Mori, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ)

Bacharel em Direito pela UNIJUÍ; Mestranda em Direitos Humanos pela UNIJUÍ; Integrante do Grupo de Pesquisa Biopolítica e Direitos Humanos; Bolsista CAPES.

Tatiana Diel Pires

Mestranda em Direitos Humanos pela  UNIJUÍ. Cursa Especialização em Direito Processual Civil na Faculdade Dom Alberto de Santa Cruz do Sul. Graduada em Direito pela Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ. Integrante do Grupo de Pesquisa Biopolítica e Direitos Humanos.  Bolsista CAPES.

Downloads

Publicado

20/12/21

Edição

Seção

Artigos